Atividades realizadas no âmbito do projeto "Apagar as Luzes e Acender as Estrelas":
  • Criação do site http://apagarasluzeseacenderasestrelas.wikispaces.com;
  • Reunião com os coordenadores de departamento da Escola Secundária Maria Lamas (ESML);
  • Contactos com professores da ESML, para planear a realização de trabalhos pelos alunos de várias turmas;
  • Apresentação do projeto a 4 turmas do ensino secundário;
  • Reunião com a professora bibliotecária da ESML, para integração do projeto no Projeto Educativo da ESML através do “Programa de Integração das Literacias no Currículo da ESML”;
  • Reunião com 15 professores bibliotecários de Torres Novas, Entroncamento, Alcanena, Golegã, Chamusca, no âmbito da ação de formação “Bibliotecas Escolares: Construção de Redes Dinâmicas de Conhecimento”;
  • Reunião com o Departamento de Educação e Cultura da Câmara Municipal de Torres Novas;
  • Contactos com a Divisão de Bibliotecas e Museus do Município de Torres Novas;
  • Contactos com a Reserva Natural do Paul do Boquilobo;
  • Contactos com o NUCLIO - Núcleo Interactivo de Astronomia;
  • Contactos com o programa Eco-Escolas;
  • Contactos com o realizador de The City Dark, um documentário sobre poluição luminosa que estreou em 2012 nos EUA e que ainda não está disponível em Portugal, para permitir a sua exibição aos alunos;
  • Contactos com a International Dark-Sky Association, para pedir a certificação da Reserva Natural do Paul do Boquilobo como uma Reserva Dark Sky;
  • Contactos com astrónomos amadores, para participarem em observações astronómicas;
  • Observações astronómicas do céu noturno, na EB1 Visconde S. Gião, na Reserva Natural do Paul do Boquilobo e na feira quinhentista de Torres Novas ("As Estrelas da Princesa"), com telescópios, telemóveis com a aplicação Sky Map, computadores com o programa Stellarium e a olho nu, para identificar constelações, estrelas e planetas;
  • Palestras "A poluição luminosa, os seres vivos e a Astronomia", na Reserva Natural do Paul do Boquilobo e na Biblioteca Municipal de Torres Novas, com Fernando Pereira, Nelson Correia e Rosa Doran;
  • Planificação de atividades para a "Astronomia no Verão", no âmbito da Ciência Viva no Verão, que se devem realizar na Reserva Natural do Paul do Boquilobo, em julho, agosto e setembro;
  • Exposição "O Céu em Píxeis" na Escola Secundária Maria Lamas, Escola Secundária Artur Gonçalves, Escola Básica Manuel Figueiredo, Escola Básica Chora Barroso, Biblioteca Municipal de Riachos e Biblioteca Municipal de Torres Novas;
  • Projeção de filmes sobre Astronomia na Biblioteca Municipal de Torres Novas, no âmbito da atividade "Bibliocinéfilos";
  • Medição da luminosidade do céu noturno e da sua magnitude limite, para se determinar o grau de poluição luminosa do céu;
  • Auditoria da iluminação pública e da ESML, para identificação de luminárias inadequadas na ESML, na sua zona envolvente e em algumas freguesias. Alguns alunos reuniram-se pessoalmente com o presidente da Junta de Freguesia, para entregarem pedidos de substituição de luminárias de iluminação pública e para explicarem o problema da poluição luminosa;
  • Apresentação de trabalhos sobre poluição luminosa, realizados pelos alunos, na Biblioteca Municipal de Torres Novas;
  • Pedido de orçamentos para renovação da iluminação exterior da ESML, recorrendo a luminárias LED e certificadas pela International Dark-Sky Association;
  • Pedido de orçamentos para aquisição de um iPad, de modo a utilizar aplicações relacionadas com Astronomia;
  • "Astronomia no Verão: A poluição luminosa, os seres vivos e a Astronomia", no âmbito da Ciência Viva no Verão, que se irão realizar na Reserva Natural do Paul do Boquilobo, em Julho, Agosto e Setembro.
  • Publicação de notícias no site da ESML - Certificados Dark Skies Rangers e IASC; Observação Astronómica na EB1 Visconde S. Gião; Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola”; A Poluição Luminosa, os Seres Vivos e a Astronomia; As Estrelas da Princesa; Exposição “O Céu em Píxeis” e Apagar as Luzes e Acender as Estrelas.


Relevância científico-pedagógica do projeto para os alunos e para a comunidade educativa


O projeto foi muito relevante para os alunos e para a comunidade educativa, pois permitiu desenvolver conhecimentos sobre o problema da poluição luminosa, provocada pela iluminação noturna inadequada, nomeadamente as diferenças entre vários tipos de luminárias, o consumo ineficiente de energia, as alterações dos comportamentos dos seres vivos, os problemas de saúde, e a diminuição da visibilidade das estrelas e de outros astros devido à luminosidade do céu. Os trabalhos de tradução permitiram desenvolver competências linguísticas e enriquecer o vocabulário dos alunos. A utilização das novas tecnologias também foi reforçada através do recurso a programas de criação de apresentações eletrónicas, de legendagem de filmes e de Astronomia, nomeadamente o Sky Map, o Stellarium e o Celestia.

Os alunos não se limitaram a realizar trabalhos nas aulas, como também realizaram trabalhos de intervenção na ESML e na comunidade, identificando locais com problemas de poluição luminosa, encontrando soluções para melhorar a iluminação pública e da ESML, e dirigindo-se aos autarcas para chamarem a atenção para este problema e para lhes pedirem para o tentarem resolver. A apresentação pública dos trabalhos permitiu desenvolver competências de expressão oral e a capacidade dos alunos enfrentarem um público.

A exposição "O Céu em Píxeis", que esteve em 4 escolas e duas bibliotecas municipais, a projeção de filmes sobre Astronomia na Biblioteca Municipal de Torres Novas e as observações astronómicas em locais públicos, com a presença de muitos participantes, permitiram chamar a atenção para a beleza do céu noturno e para a importância da Astronomia.

A relevância do projeto revela-se também na sua futura integração no Projeto Educativo da ESML, através do “Programa de Integração das Literacias no Currículo da ESML”, e no programa Eco-Escolas a nível nacional, através da criação do projeto Dark Skies Rangers, sendo o coordenador do presente projeto um dos elementos da equipa de trabalho que irá promover o Dark Skies Rangers em Portugal. Outra possibilidade será a integração destas atividades nos cursos profissionais de Técnico de Gestão do Ambiente e de Técnico de Turismo e Ambiente Rural, que estão a ser desenvolvidos na ESML.


Aspetos inovatórios, criativos ou de possível utilidade empresarial do projeto


A poluição luminosa é um problema local e mundial, que normalmente não é desenvolvido pelos professores e alunos. A maioria deve desconhecer a gravidade e extensão deste problema, as suas causas e consequências, e as soluções para reduzir a poluição luminosa. Os processos de identificação de luminárias públicas ineficientes e respetiva substituição, e de medição da luminosidade e magnitude limite do céu também não são comuns nas escolas portuguesas.

Deste modo, a criação de materiais educativos em português sobre a poluição luminosa, que ficarão disponíveis na Internet, bem como a introdução deste tema no Eco-Escolas, a nível nacional, contribuirá para a divulgação do tema em Portugal e para o seu desenvolvimento nas escolas.

Em Portugal, ainda não existe nenhuma zona certificada pela International Dark-Sky Association. No entanto, já foi possível criar a Reserva Dark Sky Alqueva, no Alentejo, que foi a primeira região do mundo a obter o certificado Starlight Tourism Destination, pela Starlight Foundation, com apoio da Unesco. Nesta região, foi criada também a Rota Dark Sky Alqueva, constituída por unidades de alojamento, de restauração e empresas de animação turística, onde os turistas podem realizar atividades noturnas, como passeios pedestres, passeios a cavalo, observação de estrelas e birdwatching.

As atividades realizadas no âmbito do presente projeto poderão ser aproveitadas para se conseguir uma certificação pela International Dark-Sky Association ou pela Starlight Foundation, na região de Torres Novas e noutras regiões do Ribatejo, com a colaboração dos municípios, de Reservas e Parques Naturais (como a Reserva Natural do Paul do Boquilobo e o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros). Para isso, poderia ser criada uma empresa que promovesse este tipo de certificação e o turismo rural Dark Sky, à semelhança do que acontece na Reserva Dark Sky Alqueva. Esta empresa poderia ser desenvolvida nos cursos profissionais de Técnico de Gestão do Ambiente e de Técnico de Turismo e Ambiente Rural, que estão a ser desenvolvidos na Escola Secundária Maria Lamas.


Avaliação final do projeto


Consideramos bastante positivo o desenvolvimento do presente projeto, tendo em conta o número de parcerias e atividades desenvolvidas, bem como o número de alunos e professores envolvidos: participaram 96 alunos que realizaram 25 trabalhos, 13 dos quais foram apresentados publicamente na Biblioteca Municipal de Torres Novas, com a colaboração de 9 professores de 5 áreas disciplinares.

Alguns destes trabalhos são de intervenção na comunidade local, pois abordam o problema da poluição luminosa ao nível local, intervindo junto dos autarcas para resolverem o problema. Outros trabalhos criaram recursos educativos em português para serem publicados na Internet, o que ainda não estava disponível, criando a base do futuro projeto Dark Skies Rangers em Portugal.

Outro aspeto muito positivo do projeto é o facto de estar prevista a sua continuação no próximo ano letivo, nomeadamente através da sua integração no “Programa de Integração das Literacias no Currículo da ESML" e no Eco-Escolas a nível nacional, com o apoio do NUCLIO.

A ideia desenvolvida no âmbito do presente projeto surgiu no ano letivo anterior, em que a Escola Secundária Maria Lamas foi a primeira escola nacional a desenvolver um projeto sobre poluição luminosa, no âmbito do programa internacional Dark Skies Rangers, tendo os alunos conseguido que a Direção da ESML mandasse desligar alguns holofotes. Este projeto foi publicado em "IDA e-News Night Watch Volume 3, Issue 10" e no site Dark Skies Awareness.